Violência contra mulher é tema da redação do Enem 2015

“A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” foi o tema da redação da edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A informação foi divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), pouco depois do fechamento dos portões dos locais de prova. O assunto foi um dos mais comentados no Twitter no domingo, 25.

Após o encerramento das provas, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, defendeu em coletiva à imprensa o tema da redação. “É inquestionável que somos uma sociedade que ainda é muito violenta contra a mulher. Eu achei um tema excelente, defendo integralmente essa pauta”, disse ele aos jornalistas.

O primeiro dia de provas do Enem, sábado, 24, também foi bastante comentado. A prova abordou em uma de suas questões o debate feminista citando a filósofa francesa Simone de Beauvoir (“Não se nasce mulher, torna-se mulher”). Alunos, estudantes e militantes de grupos feministas reproduziram o conteúdo nas redes sociais.

Os deputados Jair Bolsonaro (PP-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) usaram seus perfis nas redes sociais para reclamar. Para os deputados, isso significa doutrinação. Segundo Feliciano, “a frase da Filósofa Simone de Beauvoir é apenas opinião pessoal da autora, e me parece que a inserção desse texto, uma escolha adrede, ardilosa e discrepante do que se tem decidido sobre o que se deve ensinar aos nossos jovens”.