Programa Tempo de Despertar (Taboão da Serra/SP)

O projeto:

Realizado em Taboão da Serra, cidade da região metropolitana de São Paulo, promete se tornar referência na luta contra a violência doméstica na cidade e pela sua relevância começa a chamar a atenção no Estado de São Paulo. Idealizado pela promotora de justiça, Maria Gabriela Manssur, o programa se iniciou em setembro de 2014 e em setembro deste ano se tornou lei na cidade. Ele deverá será realizado anualmente pela Prefeitura de Taboão da Serra, em parceria com o Poder Judiciário e o Ministério Público.

Objetivo:

Além de propor uma reflexão sobre a violência dos agressores, o projeto busca entender o que há por trás da vida de cada participante, os dramas cotidianos e histórico familiar deles. Ao final do curso, o objetivo é promover uma eventual inserção deles no mercado de trabalho, cursos de alfabetização, profissionalização, acompanhamento psicológico, psiquiátrico e tratamento de drogas e álcool.

Público-alvo:

Homens que praticaram violência contra a mulher.

Como funciona:

Acompanhados por uma equipe multidisciplinar com visitas domiciliares após a soltura, os homens agressores participam do programa que acontece a cada 15 dias com o objetivo de debater o machismo, desrespeito às mulheres, a Lei Maria da Penha e os direitos nela previstos.

Resultados:

Em 2014 dos 30 integrantes do projeto nenhum deles se tornou reincidente. Alguns relatos dos participantes:

“Estava passando por uma fase muito difícil na minha vida e o programa me ajudou a tentar corrigir, repensar as atitudes. Mudar meu comportamento, ser uma nova pessoa e ter a chance de recomeçar ao lado de uma nova companheira. Saber educar meus filhos. Todos os erros que cometi tiveram a ver com falta de preparo, histórico de violência na infância, na família; hoje quero mudar tudo isso”. – Dias.

“Você aprende a enxergar a fragilidade da mulher, interpretá-la melhor e analisar com mais cautela. Tudo isso vai ser fundamental para servir de aprendizado pro meu comportamento. Antes eu era muito impulsivo, minha defesa era o ataque. Hoje minha arma é diálogo, a compreensão. Quero ser multiplicador de tudo que aqui aprendi”. – Valentim.

“Não estou aqui para dizer quem é certo ou errado, o importante é se conscientizar. Esse período me fez pensar. A vida é curta, a gente precisa levar dela, aproveitar a oportunidade de recomeçar. Não somos bandidos, temos uma vida inteira pela frente. Para quem tem filhos também é uma chance de se desculpar, se reparar com a família para que isso jamais se repita. Que se tenha mais respeito pelas mulheres, principalmente”. – Fonseca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: