Pnad Contínua 2016: mulheres ainda realizam maior parte das tarefas domésticas

Empregada doméstica realiza suas funções.
Será votado esta semana no Senado Federal, pagamento de seguro-desemprego à empregada doméstica.

Apesar de terem conquistado mais espaço no mercado de trabalho, as mulheres ainda são as grandes responsáveis por executar tarefas domésticas no Brasil. Segundo levantamento, 90,6% das mulheres e 74,1% dos homens realizaram afazeres domésticos ou cuidados de pessoas.

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foram divulgados nesta quinta-feira, 7 de dezembro, por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua. O IBGE considerou, além da profissão, tarefas como produção de bens para consumo próprio, afazeres domésticos, cuidado a parentes e trabalho voluntário.

A PNAD Contínua levantou o número de horas dedicadas aos cuidados de pessoas e aos afazeres domésticos conjuntamente, para mensurar a intensidade e a diferença em sua realização por homens e mulheres. Em 2016, a média de horas dedicadas no Brasil era de 16,7 horas por semana, com grande discrepância entre homens e mulheres: 11,1 horas em média para homens e 20,9 horas em média para mulheres.

Trabalho voluntário
A taxa de realização de trabalho voluntário era maior entre as mulheres (4,6%) do que entre os homens (3,1%) no Brasil e nas Grandes Regiões. Em termos de número de horas dedicadas a estas atividades, entretanto, não há muita diferença: homens dedicavam em média 6,9 horas semanais ao trabalho voluntário e mulheres, 6,6 horas.

A taxa de trabalho voluntário cresce com a idade: 2,5% para as pessoas de 14 a 24 anos de idade, 4,1% para as pessoas com idade entre 25 e 49 anos e 4,6% entre as pessoas de 50 anos ou mais.

A pesquisa investigou o local de realização do trabalho voluntário, podendo haver resposta em mais de uma alternativa. A maioria realizava trabalho voluntário em congregação religiosa, sindicato, condomínio, partido político, escola, hospital, asilo.

Com informações do IBGE