Movimento Mulheres Municipalistas comemora seu primeiro ano no palco da XXI Marcha

O primeiro ano do Movimento Mulheres Municipalistas (MMM) foi lembrado durante a XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Em um discurso emocionado, uma das fundadoras do Movimento Mulheres Municipalistas, Tânia Ziulkoski, lembrou a trajetória do MMM nesse primeiro ano de existência e agradeceu aos que acreditaram que esse Movimento poderia dar certo.

“A CNM aliou-se às tendências mundiais de luta pela igualdade de gênero e, através do MMM, se organizou para efetivar a missão de impulsionar a liderança política das mulheres atuando junto ao Congresso Nacional na defesa da pauta municipalista e da luta de igualdade de gênero”, disse. A líder municipalista também lembrou que, neste ano de 2018, também é comemorado os 90 anos de mulheres na liderança municipal.

A representante da Câmara dos Deputados e coordenadora geral da secretaria da mulher, deputada Soraya Santos (PR/RJ), ressaltou que a participação da mulher deve se somar ao olhar dos homens. “Meu pedido a vocês que já estão fazendo a diferença: faça do mandato de vocês um olhar agregador junto aos homens que governam o Município com vocês. Nós precisamos trazer o olhar feminino para uma sociedade ser justa, seja no Município, seja no Estado ou seja na Federação”, completa.

O Movimento Mulheres Municipalistas conta com um grupo de trabalho, com participantes de todas as regiões do Brasil. Representando este grupo, a prefeita de Monteiro Lobato (SP), Daniela Brito, ressaltou a conquista da fundação do MMM e dos trabalhos feitos neste primeiro ano. “Nosso Movimento precisa da participação de todas as mulheres municipalistas”. Ela  terminou falando uma frase da ex-presidente da República do Chile, Michele Bachelet: “quando uma mulher entra na política, muda a mulher. Quando muitas entram, conseguimos mudar a política”, finalizou.

Para finalizar as homenagens, uma das fundadoras do MMM, Dalva Christofoletti, agradeceu o empenho de Tânia Ziulkoski na conquista deste espaço tão sonhado. “Quando a gente sonha e é coletivo, acontece o que estamos vendo hoje”, ressaltou.

Presentes na homenagem, além de representantes do MMM, estiveram a primeira-dama do Distrito Federal, Márcia Rollemberg, e a representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Maristela Baioni.