Mapa do assédio (Toledo/PR)

O projeto:

Foi após sofrer assédio às vésperas do Dia Internacional da Mulher que a professora de artes, Geisa Silva, de Toledo, no oeste do Paraná, decidiu começar a mapear os locais da cidade em que este tipo de abuso ocorre. O resultado do trabalho, que apontou 103 pontos de assédio, foi colocado em exposição na Casa da Cultura do município em março deste ano.

Mapa produzido a partir de entrevistas mostrou pontos onde ocorreram assédios. (Foto: arquivo pessoal / Geisa Silva)
Mapa produzido a partir de entrevistas mostrou pontos onde ocorreram assédios. (Foto: arquivo pessoal / Geisa Silva)

 

Objetivo:

Através de uma intervenção urbana o objetivo era mostrar a frequência das ocorrências de assédio e as consequências disto para a mulher.

 

Público-alvo:

Mulheres que sofreram algum tipo de assédio sexual em Toledo. Um passo futuro será a ampliação para outros bairros de Toledo.

 

Como funciona:

Para elaborar o mapa, Geisa foi às ruas para entrevistar mulheres, com a ajuda de três colaboradores. Cada uma das 20 entrevistadas da primeira etapa, ainda em 2014, citou dois ou mais locais, totalizando 43 pontos de assédio. A coleta de dados se concentrou na área central da cidade e no Lago Municipal. Em 2015, a professora voltou às ruas e ouviu mais de 40 mulheres para expandir a pesquisa. Os apontamentos das duas pesquisas de campo foram organizados em um mesmo mapa. Além do mapeamento, a professora também marcou os lugares citados pelas entrevistadas com placas. Cada uma trazia a expressão com o sentimento da mulher quando o assédio ocorreu.

 

Resultados:

No mapa os assédios não foram especificados para que não houvesse diferenciação da gravidade dos casos. O mapa foi exposto na Casa de Cultura de Toledo e chamou atenção da população para a gravidade do problema.