Para combater o machismo, jovens criam página no Facebook para satirizar capas de revistas femininas

Já imaginou passar os olhos por uma banca de jornais e deparar com capas de revistas masculinas que anunciam “30 tipos de chopp sem glúten para manter a cinturinha no verão” ou “A barba dos sonhos: receitinhas caseiras para gastar pouco e arrasar nos fios”

Quatro mulheres imaginaram e resolveram criar no Facebook a página Zine dos Omi para satirizar os enfoques diferentes dados em publicações para homens e mulheres.

Priscilla Nóbrega, de Fortaleza, Danielli Nunes, de Curitiba, Deborah Boller, de Porto Alegre, e Bianca Santana, de São Paulo se conheceram em um grupo fechado de Facebook que discutia temas como machismo e gênero. A criação da Zine dos Omi foi inspirada em uma foto postada na fanpage “Quadrinhos da Emília” que satirizava uma revista com manchetes que focam no homem.

A página foi criada pelas jovens na última segunda-feira para satirizar outras capas de revista e já alcançou mais de 8 mil curtidas. Na descrição da página, um aviso: “Editora Zine dos Omi: se você não diria isso ao homem, porque diria à mulher?”

– Nosso objetivo não é ser uma revanche contra os homens, é uma ação para refletir, conscientizar e dialogar com outras mulheres sobre o machismo que perpetuamos sem perceber. A grande formadora da nova geração ainda é a mãe, a avó. A mulher é a primeira grande instauradora de valores nas crianças. Para acabar com o machismo é importante que as mulheres comecem a perceber essas formas sutis em que ele se apresenta e parem de perpetuá-las, de ensiná-las aos filhos e filhas – explica a biomédica Priscilla.

Para a socióloga e doutora em História e professora da Universidade Presbiteriana Mackenzie Rosana Schwartz essa troca de papéis é uma boa ferramenta de crítica:

– Essa inversão é curiosa porque as mulheres estão mostrando o que sofreram durante muito tempo, o corpo perfeito, a cobrança, o controle de sua sexualidade. Inverter as posições para mostrar aos homens e a sociedade por meio da crítica e do humor é uma ação muito interessante.

Por trás das manchetes

A biomédica Priscilla Nóbrega, de Fortaleza, analisa uma das capas criadas pela Zine dos Omi

Sabonete íntimo
“A mulher é bombardeada diariamente para camuflar os seus cheiros. São sabonetes para a genitália, absorventes com cheiro, talcos, óleos.”

Por que elas traem?
“Muitas mulheres já ouviram ‘ele é homem, é da natureza dele trair, é instinto’. Esse tipo de pensamento naturaliza a traição do homem diariamente.”

30 tipos de chopp sem glúten“Essa chamada reflete sobre as restrições alimentares para sempre manter uma forma idealizada.”

Transei no primeiro encontro
“É uma provocação sobre a pressão social que a mulher sofre com o julgamento masculino. Muito dividem as mulheres em ser ou não para casar.”

Rugas
“Essa foi inspirada em reportagens na TV que diziam que comer e rir causam rugas. É um ponto para refletir sobre a aceitação do envelhecer.”

Fonte: Zero Hora, 19/08/2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: