Grafite pelo fim da violência contra as mulheres

O projeto:
A artista Panmela Castro, em parceria com a organização não governamental Rede Nami, mantém dois projetos (Elas no Grafitti e Grafitti pelo Fim da Violência) que utilizam o grafite para explorar a temática da violência doméstica, da desigualdade de gênero e dos maus-tratos sofridos pelas mulheres.

http://www.redenami.com/

http://www.panmelacastro.com/

Objetivo:
Empoderar as mulheres por meio da arte e divulgar os altos índices de violência contra as mulheres.

Público-alvo:
Mulheres e estudantes.

Como funciona:
A ONG Rede Nami realiza dois projetos fixos. “Elas no Graffiti” é um projeto de realização de oficinas de graffiti semanais e permanentes onde mulheres a partir dos 14 anos experimentam a arte urbana como ferramenta de debate e empoderamento. A partir de oficinas de debate, essas mulheres são capacitadas e encorajadas a superarem a violência sofrida e assim tornarem-se multiplicadoras.

O projeto “Graffiti Pelo Fim da Violência Contra a Mulher” realiza oficinas em parceria com entidades para conscientizar jovens para a temática da violência contra mulheres. No ano de 2014, por exemplo, através de financiamento do Instituto Avon, 1.036 alunas estudantes do ensino médio de 24 escolas do município do Rio de Janeiro participaram de oficinas onde o graffiti foi ferramenta para o debate e reflexão sobre temas como direitos da mulher, a violência doméstica, Lei Maria da Penha e o Disque 180.

Resultados:
A metodologia da Rede NAMI foi criada para pensar a questão da violência doméstica e dos direitos da mulher de forma lúdica e dinâmica, usando a grafitagem em espaços públicos como ferramenta para dialogar com os mais diversos tipos de público e conscientizar a população sobre questões de gênero. Atualmente, eles pretendem ampliar as parcerias para realização de mais oficinas e workshops.