Estudo aponta taxa maior de homicídio entre mulheres negras

A taxa de mulheres negras vítimas de homicídios no país é mais que o dobro da de mulheres brancas. Para cada 100 mil habitantes, o número é de 7,2 e 3,2 respectivamente. É o que aponta o “Diagnóstico dos Homicídios no Brasil: Subsídios para o Pacto Nacional pela Redução de Homicídios”, da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça.

Os dados, divulgados no último dia 15, mostram que a maior parte das vítimas mulheres têm entre 15 e 29 anos. Para as jovens negras, a taxa de mortes violentas é de 11,5 por 100 mil habitantes, enquanto para as jovens brancas é de 4,6.

O documento foi elaborado com objetivo de subsidiar políticas públicas de combate à violência em parceria com estados e municípios.

De acordo com a publicação, os homicídios de mulheres estão relacionados a causas e fatores de risco diferentes dos homens. No caso deles, os homicídios parecem estar mais relacionados à participação em gangues, envolvimento com drogas e conflitos interpessoais. As mulheres são vítimas de questões relacionadas a conflitos familiares. Na maioria das vezes, o agressor ou executor é o próprio parceiro.