Pesquisa aponta aumento da violência contra mulheres mais jovens

Pesquisa apresentada nesta terça-feira (8/9), durante reunião da Comissão Mista de Combate à Violência Contra a Mulher do Senado Federal, aponta um aumento da da violência contra mulheres mais jovens, até 19 anos. O levantamento sobre violência familiar e doméstica foi encomendado ao instituto de pesquisa DataSenado e divulgado pela Rádio EBC. Para ler a matéria original, clique aqui.

A pesquisa tem como objetivo servir de base para que leis mais eficazes sejam produzidas no país. De acordo com os resultados, 18% das mulheres já foram vítimas de algum tipo de violência doméstica. Se, em 2009, ano em que foi feita a primeira pesquisa, 46% das mulheres agredidas disseram ter sofrido a primeira agressão com idade entre 20 e 29 anos, em 2013, o índice caiu para 34%, mantendo-se estável na pesquisa seguinte, feita neste ano. Por outro lado, na faixa até 19 anos, o percentual subiu de 24%, em 2009, para 32%, permanecendo estável desde 2013.

Crédito: Divulgação / Agência Senado
Cartilha com perguntas e respostas sobre a Lei Maria da Penha e pesquisa sobre a Violência contra a Mulher foram apresentadas nesta terça-feira no Senado. (Crédito: Divulgação / Agência Senado)
Um dado animador mostra que as agressões têm sido cada vez menos praticadas por companheiros, maridos ou namorados. A pesquisa de 2009 revelava que 81% das agressões a mulheres eram cometidas pelos parceiros. Em 2013 o número já apresentou uma queda, 78%, e neste ano chegou em 73%. Porém a violência que mais cresce é a praticada nas ruas, como por exemplo no transporte público, universidades, bares e boates.
A senadora Simone Tebet (PMDB-MS), que preside a comissão, observa a importância de olhar mais atentamente a esse tipo de violência física, moral, social e psicológica. Outro número chamou atenção: 100% das mulheres já conhecem a Lei Maria da Penha. “Isso significa que elas estão denunciando mais e saindo de uma forma mais rápida desse ciclo de violência”, completou Simone.

Para a senadora, a pesquisa confirmou o que a maioria já sabe: a educação é capaz de romper esse ciclo de violência. A maioria das vítimas tem baixa escolaridade. De acordo com a pesquisa, 12% das mulheres com ensino superior já sofreram alguma agressão. O índice sobe para 18%, entre as mulheres com ensino médio, e para 27% entre as que estudaram até o ensino fundamental.

Na mesma reunião, houve o lançamento de mais uma edição da cartilha sobre a Lei Maria da Penha, elaborada em parceria entre a Comissão Permanente Mista de Combate à Violência Contra a Mulher e a Procuradoria Especial da Mulher do Senado, sob o comando da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). De distribuição gratuita, a cartilha esclarece em linguagem simples e acessível a aplicação da norma.

A pesquisa completa será divulgada nos próximos dias no site do Senado. O levantamento dos dados foi realizado entre os dias 24 de junho e 7 de julho deste ano e ouviu 1.102 mulheres.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: